Apophis - Estudantes israelenses propõem à Nasa sonda para desviar asteroide




12/02/2008 - 11h35 - Atualizado em 12/02/2008 - 11h47
Da EFE

Estudantes israelenses propõem à Nasa sonda para desviar asteroide
 
Ideia é vigiar e, se preciso, mudar trajetória do Apophis.
Asteroide passará perto da Terra em 2029 e 2036.


Estudantes do Instituto Technion de Haifa, no norte de Israel, propuseram à Nasa a construção de uma sonda espacial para vigiar o asteroide Apophis e, se houver necessidade, desviar sua trajetória.

O Apophis, de 250 metros de diâmetro, foi descoberto há quatro anos em um percurso que o fará passar relativamente perto da Terra entre 2029 e 2036. Segundo cálculos iniciais da Nasa, em 13 de abril de 2029 a probabilidade de impacto será de 2,7 em 100.

O choque de um asteroide desse tamanho com o planeta teria uma potência equivalente a mais de vinte mil bombas atômicas.

O projeto do Technion foi apresentado em um concurso convocado pela agência espacial americana para evitar uma colisão que poderia arrasar a Terra.

A proposta sugere o lançamento da sonda em 2020, em uma primeira aproximação para colocar no asteroide equipamentos eletrônicos que vigiem sua trajetória, indica o jornal "Yedioth Ahronoth".

"Construíram um modelo que custaria US$ 353 milhões e consta de uma nave que pesa uma tonelada e que inicialmente colocaria no asteroide equipamentos eletrônicos", disse Alexander Kogan, que supervisiona o projeto.

Mais à frente, retornaria a uma órbita ao redor da Terra para esperar, e em caso de necessidade, fazer uma nova aproximação em 2025 para desviar o asteroide, orbitando a seu redor e alterando, desta forma, sua trajetória.

Os pesquisadores estudaram diferentes possibilidades, como uma detonação nuclear, mas concluíram que a explosão poderia dividir o asteroide em dois e causar mais dano à Terra.

Outra alternativa é colocar no asteroide motores propulsores, opção considerada muito cara.

Por isso, sugerem que a própria sonda fique encarregada de desviar o meteorito, aproveitando o efeito gravitacional de sua massa e o da Terra, e em um processo que duraria sete anos.

Segundo Kogan, um impacto direto do Apophis sobre a Terra causaria a destruição absoluta em uma área de 200 quilômetros quadrados.

Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário